segunda-feira 27th maio 2019
27-mai-2019

Contratos do Programa Jovem Cidadão estão garantidos até fim da licitação, em junho


Governo afirma que o programa não terá fim, mas que será necessário um recadastro para os jovens beneficiados

Uma liminar, expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho de Goiânia, na tarde desta quinta-feira (14), garante o funcionamento do programa Jovem Cidadão no Estado de Goiás por mais 90 dias. Esse é o prazo para que seja finalizado o processo de licitação para contratar uma nova empresa que deve gerir as atividades. Até lá, os contratos de trabalho dos jovens que atualmente estão no Programa não podem ser rescindidos.

No último mês, a Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renaspi), responsável pelas atividades, anunciou que o vínculo com a Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo de Goiás (SEDS) termina nesta quinta-feira (14).

Segundo a liminar, Renapsi e Fundação Pró-Cerrado devem manter as atividades até o dia 14 de junho deste ano. A decisão é da juíza titula da 8ª Vara do Trabalho, Cleuza Gonçalves Lopes. Ela ainda fixou multa diária de R$ 100 mil caso seja descumprida alguma obrigação. No documento, a juíza lembra que cinco mil famílias, em 240 municípios goianos, são beneficiadas pelos contratos.

“Considerando que cada família de baixa renda, na média, tem cinco membros, serão vinte mil pessoas afetadas pelo fim do programa. Isso sem contar os servidores que terão que acumular o trabalho que era realizado pelos jovens e a sociedade que já recebe um serviço precário, com grandes chances de piora”, afirma a magistrada.

Nas redes sociais, diversos jovens comentaram em postagens no perfil oficial do governador Ronaldo Caiado (DEM) com pedidos de continuidade no programa. A resposta da equipe do chefe do executivo estadual é de que o programa não será cancelado e que os jovens serão recadastrados. “Já que uma nova licitação será aberta para trazer melhorias ao programa e garantir mais transparência no processo com a entidade responsável”.

(Fonte: Mais Goias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Cabral diz que recebeu R$ 1,5 milhão em propina na licitação do serviço Poupa Tempo

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral confessou que, em 2009, recebeu um R$ 1,5 milhão em propina para favorecer o grupo de empresários liderado por Georges Sadala, na licitação do serviço Poupa Tempo no estado.

A declaração foi dada, nessa quinta-feira (23), em depoimento prestado ao juiz Marcelo Bretas, da Sétima Vara Federal Criminal do Rio, no âmbito da Operação C’est Fini, um desdobramento da Lava Jato.

Cabral disse que determinou pessoalmente aos responsáveis pela licitação que o consórcio pertencente a Sadala fosse escolhido como vencedor do certame.

O ex-governador revelou ainda outras negociatas com Sadala, que eram desconhecidas do Ministério Público e da Justiça.

Quem também prestou depoimento, nessa quinta-feira, foi o empresário Georges Sadala. Ele se disse surpreso com as declarações de Cabral e negou ter pago propina ao ex-governador ou ter sociedade com ele em imóveis.

(Fonte: Jornal Floripa)