quarta-feira 19th junho 2019
19-jun-2019
Diálogo interceptado pela PF mostra suposto conluio para licitação

Diálogo interceptado pela PF mostra suposto conluio para licitação

Os dois empresários ligados a área de tecnologia continuam presos; um deles entrou com pedido de liberdade provisória, mas teve habeas corpus negado pelo TRF4

Quebras de sigilo telefônico anexadas ao inquérito que deu origem à Operação Alcatraz mostram como era organizado o suposto esquema de fraude licitatória entre os principais empresários envolvidos, segundo a Polícia Federal. Em um dos diálogos interceptados, aparece a combinação entre dois empresários da área de tecnologia. Maurício Rosa Barbosa ligado às empresas Integra e Intuitiva e Fabrício José Florêncio Margarido, da DigitalNet, eram os vencedores das licitações, conforme a polícia, e mantinham contratos com o governo por meio de supostos favorecimentos na concorrência. Ambos foram presos preventivamente.

Em conversa monitorada pela polícia no dia 20 de dezembro de 2017, os empresários demonstrariam o que a polícia chama de “conluio” para fraude em licitações. O diálogo apontaria para um suposto acerto de valores entre dois empresários da área de tecnologia que, aparentemente, seriam concorrentes. O “k” mencionado ao lado dos números representa a cifra de mil reais, conforme inquérito policial. Os dois estariam combinando quanto e de que forma ocorreria o repasse dos lucros entre a vencedora e outra candidata.

Para que os repasses ocorressem entre as duas empresas sem levantar suspeitas, a que perdeu o pregão seria contratada pela vencedora para prestar os serviços de forma terceirizada. As duas, portanto, lucrariam com o acordo. Segundo o inquérito, que traz transcrições de outros diálogos entre os envolvidos, os empresários tinham a preocupação de não levantar suspeitas motivo pelo qual decidem que apenas um deles participasse da licitação. Também, segundo a Polícia Federal, para não gerar desconfiança, outra empresa é convidada a se inscrever no processo, mas apresenta um valor mais alto.

O que diz a defesa:

Fabrício José Florêncio Margarido

A defesa informou sexta-feira que deve se manifestar, novamente, apenas após conclusão de inquérito. Em outros contatos realizados, a defesa também preferiu não se manifestar.

Maurício Rosa Barbosa

Por nota oficial, o advogado de defesa Claudio Gastão da Rosa Filho disse: “Não vou me manifestar sobre o conteúdo de conversas que, por força de lei, tem sua divulgação vedada”.

(Fonte: NSC Total)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>