segunda-feira 27th maio 2019
27-mai-2019

Duas empresas são habilitadas na licitação de vagas em creches


Apenas duas das oito instituições de ensino particulares interessadas em oferecer vagas em creches para alunos da rede pública foram habilitadas na segunda fase da licitação, realizada na tarde desta quarta-feira (13). As seis inabilitadas não apresentaram toda documentação exigida no edital e terão até o próximo dia 20 de março para apresentarem recursos.

Segundo a prefeitura as duas instituições passam agora para a segunda fase do certame, quando serão abertos os envelopes com a quantidade de vagas ofertadas. A prefeitura pretende contratar 2 mil vagas para crianças de zero a três anos que estão na fila de espera.

Na primeira fase da licitação quando quatro instituições de ensino foram habilitadas a prefeitura conseguiu 135 vagas, aprovadas pela Secretaria de Educação. Nesta quarta-feira seis crianças matriculadas começaram a frequentar as aulas no Centro de Educação Infantil Primeiros Passos.

(Fonte: O Diario)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Cabral diz que recebeu R$ 1,5 milhão em propina na licitação do serviço Poupa Tempo

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral confessou que, em 2009, recebeu um R$ 1,5 milhão em propina para favorecer o grupo de empresários liderado por Georges Sadala, na licitação do serviço Poupa Tempo no estado.

A declaração foi dada, nessa quinta-feira (23), em depoimento prestado ao juiz Marcelo Bretas, da Sétima Vara Federal Criminal do Rio, no âmbito da Operação C’est Fini, um desdobramento da Lava Jato.

Cabral disse que determinou pessoalmente aos responsáveis pela licitação que o consórcio pertencente a Sadala fosse escolhido como vencedor do certame.

O ex-governador revelou ainda outras negociatas com Sadala, que eram desconhecidas do Ministério Público e da Justiça.

Quem também prestou depoimento, nessa quinta-feira, foi o empresário Georges Sadala. Ele se disse surpreso com as declarações de Cabral e negou ter pago propina ao ex-governador ou ter sociedade com ele em imóveis.

(Fonte: Jornal Floripa)