segunda-feira 27th maio 2019
27-mai-2019

Novos caças da FAB e vaga no STF ficarão para Dilma, diz Lula

O governo está em processo para compra de 36 aviões de combate, num negócio que pode superar os 4 bilhões de dólares.

As decisões sobre o nome que ocupará a vaga deixada pelo ex-ministro Eros Grau no Supremo Tribunal Federal (STF) e a compra de novos caças para a Força Aérea Brasileira ficarão para o próximo governo, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista exibida na noite de segunda-feira.

 

Em entrevista à TV Brasil, Lula afirmou que optou por esperar as eleições para discutir a escolha do ministro para a vaga deixada por Grau, aposentado em agosto, mas que ainda não conversou sobre o assunto com a presidente eleita, Dilma Rousseff.  Segundo a Agência Brasil, Lula disse que “não há muita pressa” para decidir o novo nome, porque o tribunal entrará em recesso nos próximos dias e só voltará aos trabalhos em fevereiro de 2011.

Sobre a decisão de compra dos novos aviões de combate para a FAB, Lula disse que não poderá tomá-la em um momento que seu mandato está acabando. “É uma dívida muito grande, é uma dívida de longo prazo para o Brasil. Eu poderia assinar e fazer um acordo com a França, mas não vou fazer”, disse Lula, segundo a agência.

O governo está em processo para compra de 36 aviões de combate, num negócio que pode superar os 4 bilhões de dólares. Em novembro, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que os aviões franceses (produzidos pela Dassault) são os melhores em termos de transferência de tecnologia na licitação para renovar a frota da FAB.

O presidente afirmou na entrevista que a decisão sobre os caças franceses ainda depende de parecer do Conselho Nacional de Defesa. Também participam da concorrência o sueco Gripen NG, da Saab, e o F-18, fabricado pela norte-americana Boeing.

Por Alberto Alerigi Jr.
(Fonte: Estadão – SP Online)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Cabral diz que recebeu R$ 1,5 milhão em propina na licitação do serviço Poupa Tempo

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral confessou que, em 2009, recebeu um R$ 1,5 milhão em propina para favorecer o grupo de empresários liderado por Georges Sadala, na licitação do serviço Poupa Tempo no estado.

A declaração foi dada, nessa quinta-feira (23), em depoimento prestado ao juiz Marcelo Bretas, da Sétima Vara Federal Criminal do Rio, no âmbito da Operação C’est Fini, um desdobramento da Lava Jato.

Cabral disse que determinou pessoalmente aos responsáveis pela licitação que o consórcio pertencente a Sadala fosse escolhido como vencedor do certame.

O ex-governador revelou ainda outras negociatas com Sadala, que eram desconhecidas do Ministério Público e da Justiça.

Quem também prestou depoimento, nessa quinta-feira, foi o empresário Georges Sadala. Ele se disse surpreso com as declarações de Cabral e negou ter pago propina ao ex-governador ou ter sociedade com ele em imóveis.

(Fonte: Jornal Floripa)