Servidores da UFJF viram réus por fraudes em licitações do Hospital Universitário | Portal de Licitações
domingo 19th agosto 2018
19-ago-2018

Servidores da UFJF viram réus por fraudes em licitações do Hospital Universitário


O ex-reitor Henrique Duque e outras quatro pessoas já faziam parte da denúncia do MPF, que acrescentou sete novos nomes ao processo.

O juiz Bruno Souza Savino, da 3ª Vara de Justiça Federal, acolheu a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e tornou réus 12 pessoas envolvidas na operação “Editor” que investiga possíveis irregularidades no contrato de licitação do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Além do ex-reitor Henrique Duque, do ex-pró-reitor Carlos Elízio Barral, do assessor jurídico, Nilson Pinto Leão, do diretor-presidente da Tratenge Engenharia, Renato Moraes Salvador Silva, e da funcionária da empresa, Maria Cristina de Resende, outras sete pessoas foram incluídas na denúncia como suspeitas de participação nos crimes.

Como o G1 não conseguiu o contato das defesas dos sete envolvidos que foram acrescentados à denúncia, a identidade deles será preservada.

De acordo com a assessoria do Procurador da República, Marcelo Borges de Mattos Medina, “todos os denunciados já vinham sendo investigados, mas as prisões se limitaram àqueles que ofereciam risco à investigação, à produção da prova ou à ordem pública”.

O MPF explicou que os outros investigados, embora não tenham sido presos, foram alvos de outras medidas, tais como afastamento da função pública, busca e apreensão, sequestro de bens ou, pelo menos, diligências, interrogatórios ou sindicância.

O recebimento da denúncia significa que o juiz acolheu o pedido de instauração de ação penal contra os acusados. A tramitação do processo terá prosseguimento com a apresentação das defesas e a produção de outras provas. No curso do processo, os réus terão oportunidade de exercer a defesa. A sentença será proferida ao final do julgamento.

Os 12 acusados vão responder por diversos crimes, entre eles fraude em licitação, concessão de vantagens contratuais indevidas, falsidade ideológica e peculato. Alguns dos réus vão responder por mais de um crime e outros por acusações específicas, que serão detalhadas em breve pelo G1.

(Fonte: G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>