quarta-feira 26th setembro 2018
26-set-2018

Especial – Compliance

Compliance_110333726_Subscription_Monthly_XL_675x282

Em tempos de escândalos de corrupção de robusta envergadura, quase sempre envolvendo governo e iniciativa privada, nunca o COMPLIANCE esteve tão em voga no mercado de licitações públicas.

Já bastante difundido no universo corporativo, o termo COMPLIANCE vem velozmente ganhando visibilidade também no setor público e, ao que tudo indica, se tornará exigência básica nas relações entre este e a iniciativa privada.

É mandatório que empresas que levam a sério o mercado governamental compreendam profundamente o significado do COMPLIANCE aplicado as relações com o governo, e que entendam seu impacto no moldar de suas operações.

Mas de que forma as empresas devem aplica-lo? O governo pretende alguma regulamentação, lei ou exigência de conduta? Em que sentido a adoção do COMPLIANCE se traduz em vantagem competitiva nas licitações?

Pensando nisso, o Portal de Licitação preparou um editorial especial sobre COMPLIANCE e o DIREITO PENAL NAS RELAÇÕES ENTRE EMPRESAS PRIVADAS E O GOVERNO.

São diversos artigos técnicos, publicados semanalmente toda 2ª feira (a partir de março/18), cujo conjunto forma o alicerce de conhecimento essencial sobre o tema.

Mantenha-se atualizado e acompanhe semanalmente os artigos. E aproveite para enviar suas sugestões.

Boa leitura!

Primeiro: Introdução ao tema e as Punições a Pessoa Jurídica 

Segundo: O Mensalão e, posteriormente, a operação Lava Jato fez escancarar a ferida da corrupção brasileira

Terceiro: O crime de corrupção no centro do problema e a relação íntima com o Governo

Quarto: Legislação de combate aos ilícitos praticados pela pessoa jurídica nas relações com o governo

Quinto: Programa de integridade da empresa, regulamentação exige programa de compliance específico e efetivo para empresas que vendem ao governo

Sexto: O Programa Especial para empresas participantes de licitações e contratos com a administração pública

Sétimo: A construção do compliance e a Responsabilidade da Pessoa Jurídica

Oitavo: Atribuições e Responsabilidades do COmpliance Officer

Nono: Cegueira Deliberada. Cooperação por Omissão

Décimo: Imputação de Responsabilidades e Delegação de Poder

Há 9 comentários para este artigo
  1. Pingback: O MENSALÃO E, POSTERIORMENTE, A OPERAÇÃO LAVA JATO FEZ ESCANCARAR A FERIDA DA CORRUPÇÃO BRASILEIRA | Portal de Licitações
  2. Pingback: O crime de corrupção no centro do problema e a relação íntima com o Governo | Portal de Licitações
  3. Pingback: LEGISLAÇÃO DE COMBATE AOS ILÍCITOS PRATICADOS PELA PESSOA JURÍDICA NAS RELAÇÕES COM O GOVERNO | Portal de Licitações
  4. Pingback: COMPLIANCE: PROGRAMA DE INTEGRIDADE DA EMPRESA. REGULAMENTAÇÃO EXIGE PROGRAMA DE COMPLIANCE ESPECÍFICO E EFETIVO PARA EMPRESAS QUE VENDEM AO GOVERNO | Portal de Licitações
  5. Pingback: O PROGRAMA ESPECIAL PARA EMPRESAS PARTICIPANTES DE LICITAÇÕES E CONTRATOS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBICA | Portal de Licitações
  6. Pingback: A CONSTRUÇÃO DO COMPLIANCE E A RESPONSABILIDADE DA PESSOA JURÍDICA | Portal de Licitações
  7. Pingback: ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DO COMPLIANCE OFFICER | Portal de Licitações
  8. Pingback: CEGUEIRA DELIBERADA. COOPERAÇÃO POR OMISSÃO | Portal de Licitações
  9. Pingback: IMPUTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE E DELEGAÇÃO DE PODER | Portal de Licitações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>